PRECISAMOS DE MONSTROS

Precisamos de monstros…

Infelizmente, aquele que não possui a prudência na hora do pensamento, aquele que não possui a noção de que política deve sempre ser tratada como “arte do possível”, este tende a cair em discursos utópicos, muitas vezes belos e que são proferidos em prol das mais belas causas, no entanto, utópicos, não só utópicos, mas muitas vezes, perigosos.

O recente caso na Alemanha e a recente situação na Europa são exemplos claros disso. Que tipo de monstros seriam contrários a receber de braços abertos refugiados de zonas de guerra?! Que tipo de monstros seriam contrários ao acolhimento de um povo de cultura diferente que vem sofrendo e adequação deste povo ao novo ambiente próspero onde encontraram refúgio?!

Respondo…

O tipo de monstro que fez com que a civilização ocidental chegasse tão longe e prosperasse mediante tantas provações. O tipo de monstro que garante a você direitos elementares como, liberdade, vida, propriedade privada, liberdade de crença, etc…

O tipo de monstro que ao preferir o testado ao não testado, o familiar ao desconhecido, o suficiente ao abundante, está garantindo o seu riso presente ao invés de prometer uma felicidade impossível e futura.

Esse tipo de monstro, aparentemente, consegue colocar os pés no chão enquanto todos flutuam em um céu utópico lindo. Com os pés cravados na suja terra do universo humano, esse monstro consegue perceber melhor fatores que do céu utópico não são possíveis de serem notados.

Aqui, na realidade terrestre, um monstro desses consegue parar e perceber que certo tipo de política é impraticável, ou então, consegue perceber os riscos de fronteiras escancaradas, escancaradas a uma cultura completamente diferente e conflitante com a nossa, por exemplo. Conseguiria um monstro desses, talvez, perceber que a enorme incompatibilidade de culturas, acarretasse em problemas futuros.

No entanto, nem fomos a um futuro tão distante e os riscos já estão transformando-se em realidades duras e cruéis nos países europeus.

Olhando para os recentes acontecimentos, talvez esteja na hora de políticas menos humanas, talvez necessitemos um pouco dessa “monstruosidade” que tanto prosperou durante os séculos…

2 thoughts on “PRECISAMOS DE MONSTROS

  1. Marcos Vidal

    Bravo, Otimo texto!

  2. Rodrigo Trindade Severo

    Fico feliz quando vejo um estudante de direito, no caso o autor do texto, que é de direita, pois nas universidades, nesse curso é imensa a quantidade de esquerdóides e a lavagem cerebral feita pelos professores comunas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>