Um país que se preza, despreza a ONU e ama a sua própria nação.

Talvez você nunca tenha lido a cartilha da ONU do Programa Nacional de Direitos Humanos. Bom, se você pegar a cartilha deles e a agenda da esquerda, vai ver que têm exatamente os mesmos objetivos.

Todo esse conceito de igualdade e justiça seria de grande benefício para a humanidade, se não fosse pelos interesses escusos e os objetivos obscuros de um pequeno grupo de líderes mundiais que almejam, a qualquer custo, o controle absoluto sobre todos os outros seres humanos (Brasil, Pizzaria; 2013).

Peguei alguns trechos para escancarar-lhes a verdade. O link da cartilha está no final da postagem, caso queira acessar.

“Diretriz 7”

Objetivo estratégico IV:

  1. p) Garantir o acompanhamento multiprofissional a pessoas transexuais que fazem parte do processo transexualizador no Sistema Único de Saúde e de suas famílias. (operação de mudança de sexo com o dinheiro do povo)
  2. q) Apoiar o acesso a programas de saúde preventiva e de proteção à saúde para profissionais do sexo. (promoção da prostituição)

Objetivo estratégico VI:

  1. n) Garantir os direitos trabalhistas e previdenciários de profissionais do sexo por meio da regulamentação de sua profissão. (manutenção da prostituição)

“Diretriz 8”

Objetivo estratégico II:

  1. d) Fomentar a criação de instâncias especializadas e regionalizadas do sistema de justiça, de segurança e defensorias públicas, para atendimento de crianças e adolescentes vítimas e autores de violência. (imunidade para menores de idade autores de violência perante a lei, tratando a vítima e o autor de violência no mesmo nível)
  2. f) Estimular a informação às crianças e aos adolescentes sobre seus direitos, por meio de esforços conjuntos na escola, na mídia impressa, na televisão, no rádio e na internet. (mostrar a eles, em seguida, que podem cometer o crime que quiserem e que serão protegidos de cumprir penas judiciais)

Objetivo estratégico VII:

  1. j) Desenvolver campanhas de informação sobre o adolescente em conflito com a lei, defendendo a não redução da maioridade penal.

“Diretriz 9”

Objetivo estratégico III:

  1. g) Considerar o aborto como tema de saúde pública, com a garantia do acesso aos serviços de saúde.

Recomendação: Recomenda-se ao Poder Legislativo a adequação do Código Penal para a descriminalização do aborto.

  1. h) Realizar campanhas e ações educativas para desconstruir os estereótipos relativos às profissionais do sexo (ações educativas aqui engloba todos os ensinos, desde o primário até a formação superior em pós-graduação)
  2. d) Reconhecer e incluir nos sistemas de informação do serviço público todas as configurações familiares constituídas por lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), com base na desconstrução da heteronormatividade.
  3. e) Desenvolver meios para garantir o uso do nome social de travestis e transexuais.
  4. f) Acrescentar campo para informações sobre a identidade de gênero dos pacientes nos prontuários do sistema de saúde.
  5. g) Fomentar a criação de redes de proteção dos Direitos Humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), principalmente a partir do apoio à implementação de Centros de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate à Homofobia e de núcleos de pesquisa e promoção da cidadania daquele segmento em universidades públicas.

“Diretriz 10”

Objetivo estratégico V:

  1. b) Apoiar projeto de lei que disponha sobre a união civil entre pessoas do mesmo sexo (destruição dos pilares naturais do casamento e da família = espécie + gênero + número)
  2. c) Promover ações voltadas à garantia do direito de adoção por casais homoafetivos.

Objetivo estratégico VI:

c)Desenvolver mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos da União. (Revogado pelo Decreto nº 7.177, de 2010)

“Diretriz 13”

Objetivo estratégico I:

  1. a) Realizar ações permanentes de estímulo ao desarmamento da população.
  2. b) Propor reforma da legislação para ampliar as restrições e os requisitos para aquisição de armas de fogo por particulares e empresas de segurança privada. 

“Diretriz 18”

Objetivo Estratégico II:

  1. a) Incentivar a criação de programa nacional de formação em educação em Direitos Humanos.
  2. g) Produzir recursos pedagógicos e didáticos especializados e adquirir materiais e equipamentos em formato acessível para a educação em Direitos Humanos, para todos os níveis de ensino. (lavagem cerebral desde a infância, processo de “desumanização” gradual)

“Diretriz 20”

Objetivo Estratégico I:

  1. a) Fomentar a inclusão da temática de Direitos Humanos na educação não formal, nos programas de qualificação profissional, alfabetização de jovens e adultos, extensão rural, educação social comunitária e de cultura popular.
  2. b) Apoiar iniciativas de educação popular em Direitos Humanos desenvolvidas Educação e Cultura em Direitos Humanos por organizações comunitárias, movimentos sociais, organizações não-governamentais e outros agentes organizados da sociedade civil.

Diretriz 22:

Objetivo Estratégico II:

  1. c) Incentivar a produção de filmes, vídeos, áudios e similares, voltada para a educação em Direitos Humanos e que reconstrua a história recente do autoritarismo no Brasil, bem como as iniciativas populares de organização e de resistência. (Claro, como se os terroristas comunistas representassem o povo na época do regime militar) 

Eixo orientador VI Direito à Memória e à Verdade

 (Apenas um trecho de 5 páginas de pura distorção)

(…) O Brasil ainda processa com dificuldades o resgate da memória e da verdade sobre o que ocorreu com as vítimas atingidas pela repressão política durante o regime de 1964.

—-

Agora, em minhas palavras, os Conservadores são os únicos com cacife para enfrentá-los, o resto coopera com a imposição das minorias para a destruição do Brasil debaixo de pretextos politicamente corretos “humanitários” para uma total desumanização nacional.

Link do Programa Nacional de Direitos Humanos – http://www.sdh.gov.br/assuntos/direito-para-todos/programas/pdfs/programa-nacional-de-direitos-humanos-pndh-3

Download direto – Programa Nacional de Direitos Humanos 3 -PNDH-3_versao_final-eleitoral

3 thoughts on “Um país que se preza, despreza a ONU e ama a sua própria nação.

  1. Poli Cam

    Fala-se em cartilha da ONU, mas transcreve-se trechos do PNDH3 e o ‘link’ também é do famigerado programa.

    • Gustavo Vinícius

      Foi avisado no texto que era do Programa Nacional de Direitos Humanos, caso não tenha percebido. E o link é oficial do governo. Está escancarado. Não há como negar nem esconder hahaha

      • Joao Silva

        Ok. Mas e a ONU participa (sabe) disto ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>