Por que o feminismo não defende a mulher

feminismo

Existe um senso comum de que o feminismo é uma luta por direitos iguais. Basta uma pesquisa rápida na Internet para encontrar esse tipo de definição.

Segundo a Wikipédia, o feminismo é “um movimento social, filosófico e político que tem como objetivo direitos equânimes (iguais) e uma vivência humana por meio do empoderamento feminino e da libertação de padrões opressores patriarcais, baseados em normas de gênero”.

Visto assim, parece ótimo, não é? Ora, por que alguém se oporia a um movimento que busca apenas igualdade e liberdade da opressão?

Simples: porque, na prática, feminismo passa bem longe disso.

Basta começar pela proposição mais usada e mais facilmente refutável: “direitos iguais”.

Pense no contexto atual: século XXI, Ocidente. O que um homem pode fazer e a mulher seja impedida APENAS por ser mulher?

As respostas a essa pergunta são fatais. Listo algumas: “eu quero ter o direito de sair na rua sem ser assediada”, “quero andar sozinha sem ter medo de ser violentada”, “não quero ser chamada de vadia por andar de roupas curtas”, entre muitas outras no mesmo estilo.

Sou mulher. (dã). Entendo que existem, sim, alguns riscos e problemas que envolvem o meu gênero. Mas admito a realidade de que esses riscos não são exclusivos ao sexo feminino.

Vamos, então, falar dos tópicos levantados pela feminista imaginária: assédio e violência sexual.

A feminista parte do princípio de que a mulher sofre assédio demais e que isso deve ser combatido. Eu concordo com a primeira parte. De fato, existe bastante assédio. Mas, novamente, mulheres não são, nem de longe, as suas únicas vítimas. Isso porque o feminismo inverteu completamente a situação. Na visão delas, assédio masculino é algo horrível, abominável e horroroso, mas assédio feminino é “empoderamento”, ou seja, uma forma da mulher se tornar mais poderosa e dona de si. Segundo esse visão, nada de errado em comentar “esse eu estuprava” na foto de um homem bonito. Mas um homem que fizer o mesmo com uma mulher, ainda que de brincadeira, será massacrado.

Já a violência sexual é uma das bandeiras mais levantadas pelo feminismo. Concordo completamente que o estupro é um crime horrível, que deve ser punido. O problema é a maneira como elas desmerecem inteiramente tanto o crime quanto suas vítimas.

O advento da Internet nos trouxe grandes avanços, mas também alguns problemas, como é o caso dos textões feministas. Neles, há todo tipo de denúncia: assédio, agressão, estupro, violência. E algo assim, que poderia ser utilizado justamente para combater esses crimes, vem sendo utilizado para destruir reputações de pessoas e/ou estabelecimentos muitas vezes inocentes.

Não tenho nada contra quem faz relatos de quaisquer tipos de violência em redes sociais. Pessoalmente, eu não o faria, mas se há quem gosta, nada tenho a ver com isso. O grande erro está em apontar culpados e/ou criminosos sem as devidas provas legais para tal. Se você sofre algum tipo de violência, a melhor atitude a se tomar é procurar as autoridades competentes e procurar punir o criminoso. Acusar algo ou alguém de um crime que não cometeu é, por si só, um crime – mais especificamente, calúnia, punível com até 2 anos de reclusão, e multa.

E o mais absurdo é que o feminismo, além de não repudiar esse tipo de comportamento, ainda o incentiva. Pipocam supostos casos de agressão em bares/casas de shows, e sem quaisquer provas, pessoas começam a denegrir a imagem do estabelecimento sem titubear. E ai de quem puser em cheque a veracidade da história ou pedir provas, porque, para elas, a palavra de uma mulher é praticamente sagrada e não pode ser colocada em dúvida.

Estamos no século XXI, Ocidente. Ao contrário do que as feministas dizem, não existe aqui nenhuma “cultura de estupro”. Pais não educam seus filhos como se estuprar fosse algo normal. Nem sequer bandidos toleram estupradores, muito menos caso sejam pedófilos também. É um dos crimes mais desprezados pela sociedade, e não existe título mais desonroso para se dar a um homem do que estuprador. O que acontece é que estamos numa sociedade onde ocorrem estupros. Como na larga maioria, senão na totalidade delas. E, ainda que as feministas desconheçam ou insistam em negar, não são apenas homens que estupram, e não são apenas mulheres as vítimas.

A mulher tem a total liberdade de ser o que quiser. Claro que existem cobranças e problemas. Mas isso ambos os lados precisam lidar na vida. No dia em que as feministas compreenderem de que estão em 2016 e não em 1920, e que ser dona do próprio corpo não significa que ninguém pode considerar errado ou desnecessário o que o outro faz, deixarão de ser feministas e passarão a ser pessoas normais.

36 thoughts on “Por que o feminismo não defende a mulher

  1. Susã Laisa

    Eu sou uma apoiadora do Feminismo. Leio muita Matérias, videos, noticias sobre esse “universo” Feminista, mas também vejo as criticas. Concordo com algumas coisas que foram ditas nesta matéria, porém necessita de um senso critico maior, a maioria das pessoas veem as FEMINISTAS como FEMISTAS. Eu sou sim i) a favor dos direitos iguais, e ii) desejo viver em um mundo livre de assédio, e isso vale para os dois lados. Vou continuar a lutar pela igualdade da mulher, do negro, do indigena, etc. Mas, tenho minha faculdade de discernimento bem treinada, e entendo que, o que desejo pra mim como mulher, desejo pra homem TAMBÉM; da mesma forma que o assedio não é legal, quando dirigida a uma mulher, tambem não é legal quando isso acontece com um homem, porém, é certo que o homem na sociedade em que vivemos hoje já nasce com certos “privilégios”, da mesma forma que eu tenho “privilégios” em nossa sociedade por ser branca, hetero, magra, etc. O que as FEMINISTAS de verdade querem é a busca de uma sociedade igualitária, muito diferente das FEMISTAS que querem ver a classe “HOMEM” exterminada.

    • Helano Oliveira

      Serio, por favor, não utiliza mais esse termo femismo pra defender sua opiniao, usa qualquer outra coisa. FEMISMO e um termo tão, mas tão desmascarado que as feministas simplesmente pararam de usa-lo pois passam vergonha toda vez que o utilizam. Eu tambem sosu bem interado do assunto, fui inocentemente pro-feminismo por 2 anos e lia todos os textos, logs e paginas, e olha, faz uns seis meses que nao vejo mais nem as feministas falarem em femismo kkkkkkk. Toda vez que vc utiliza essa palavra passa uma impressao pra todos de que vc e bem inocente e amadora, ingenua mesmo. Não vou perder meu tempo enumerando aqui os refutamentos pro femismo, vou apenas me resumir em dizer que FEMISMO só existe quando as as feministas sentem vergonha das proprias feministas por suas atitudes deploraveis. Femismo é justamento o falso argumento chamado “falacia do escossez de verdade”. Alem do mais nao existe ninguem por ai batendo no peito dizendo que e femista nao e mesmo? Existem livros sobre femismo? Autores femistas que levantam a bandeira femista? Te desafio a encontrar apenas uma mulher em protesto levantando um cartaz em nome do femismo. Escossez de verdade e tipo a Luciana Genro dizendo “agora a grecia vai mostrar ao mundo o que e socialismo de verdade” e o que aconteceu apos quando o Tsypras faliu a grecia com o socialismo e renunciou? Ela foi la e disse “nao era socialismo de verdade”. ahahahaha Ora, mas que coisa boa nao e mesmo? Espero que nunca mais passe vergonha por ai defendendo inocentemente esse termo.

      • Helano Oliveira

        Mais uma coisa, te desafio a entrar em qualquer grupo ou pagina de feministas e discordar delas em qualquer assunto, fala que ideologia de genero e mentira por exemplo. Faz isso, ai voce vai ver o surto psicotico das suas manas vindo do fundo e mostranado que “feminismo é amor”. Faz so esse teste mesmo e voce vai enxergar aonde voce esta metida. Feminismo é liberdade? So pra quem esta dentro dele viu, e olha que a ditadura la dentro é pesada! kkkkkk Boa sorte, aconselho a fazer isso com perfil fake se nao pode receber umas mensagens de odio e umas manxs desejando que voce seja estuprada pra aprender a dar valor a ditadurazinha delas

        • Susã Laisa

          Amigo me desculpe, mas não sou INOCENTE com afirma. FEMISMO não é um termo usado quando FEMINISTAS tem vergonha de algumas mulheres. Seu comentário mostra total falta de conhecimento em termos SOCIOLOGICOS, da mesma forma que existe FEMISMO sim (A ideia de que a mulher é superior ao homem) existe o MISANDRIA, MISOGINIA e SEXISMO. Sou FEMINISTA e defendo e acredito na luta de igualdade social e economica entre os gêneros. Não sou ingenua a acreditar que todas as PESSOAS que se dizem FEMINISTAS são totalmente racionais ou usam de discernimento, da mesma forma que acredito ( e sei ) que nem todo homem é MACHISTA. Mas minha luta e meus estudos e esforços e conquistas terão sempre como objetivo a igualdade de gênero, cor, crença, etc. pois somos todos pessoas de direitos, engravidando ou não!

          • Isso não é como é uma imagem e

            Feminismo não é mais o que você pensa, feminismo virou uma marca contra homens. Sinto muito que não queira aceitar os fatos, que criem outro movimento porque feminismo foi tomado por extremistas.

          • Helano Oliveira

            Uma duvida, se vcs dizem que feminismo nao e o contrario de machismo, entao pq todo mundo que e contra o feminismo vcs chamam de machistas?

          • Josué Corrêa

            Não entendo muita coisa sobre o feminismo, mas depois de ler o texto e todos os comentários aqui postados, uma coisa me chamou a atenção, justamente no seu último comentário Susã: se o feminismo luta pela “igualdade de gênero, cor, crença e etc”, nas suas palavras, então ele luta por direitos já conquistados? O artigo 5° da constituição federal já garante esses direitos e de forma bem explícita, quando diz:

            “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza” Artigo 5°
            “homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;” Inciso I
            “é inviolável a liberdade de consciência e de crença” Inciso VI
            “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas” Inciso X

            E a lista de direitos continua, e é bem grande!

            Qualquer problema relacionado ao gozo desses direitos deve ser dirimido em âmbito judicial, pois fere a constituição, não em manifestações sociais e políticas. Não vivemos numa sociedade patriarcal, na verdade tenho a impressão de que o feminismo deseja na realidade uma sociedade matriarcal, que é exatamente o mesmo tipo de sociedade que afirmam repudiar, só que a seu favor.

            Outra coisa que não consigo entender, é o discurso dos partidos políticos que advogam mais espaço pra mulher no meio político. E eu pergunto, isso é justo? Qualquer brasileiro tem o direito se de candidatar a algum cargo político, independentemente de gênero, raça, ou credo. Agora, se o(a) candidato(a) não recebe votos suficientes pra se eleger isso é problema do estado? É problema da política? E afinal de contas, gênero define honestidade política, caráter e competência?

            Se existe um lugar onde o movimento feminista deveria estar fazendo militância esse lugar chama-se oriente médio. A liberdade das mulheres do ocidente é muito superior às do oriente, mas aparentemente ninguém vai protestar onde a verdadeira desigualdade acontece, será por que?

        • tiago

          cansei de ver relatos na internet de femininstas , em movimentos feministas, reclamando das atitudes de outras feministas, que movimento unido esse hein

          • Helano Oliveira

            o feminismo é super unido, mas basta vc mostrar a hipocrisia delas que rapidamente surgem 100 vertentes e jogam a culpa nas outras pra nao passarem vergonha. Sao unidas num minuto, ai no outro tem feminismo negro, radfem, feminismo cristao (??), feminismo marxista, feminismo nao-marxista, new left, feministas que odeiam trans, feministas que defende trans, feminismo cor-de-rosa e por ai vai kkkkkk

        • Reginaldo Silva

          O feminismo de esquerda de 3ª onda é multifacetado, há trocentas correntes e sub-correntes, mas todas são podres.

          Mas há duas correntes principais, o Feminismo de Gênero e o Feminismo Radical (lesbofeminismo, feminismo bucetista, etc).
          Sendo que o Feminismo de Gênero comanda o feminismo no Ocidente (sendo que o feminismo de gênero tem muita ligação com a Teoria Queer, teoria mãe da ideologia de gênero).

          As radfem (feministas radicais) odeiam a ideologia de gênero, logo elas possuem pautas em comuns com conservadores de direita, elas aceitam argumentações anti-ideologia de gênero

    • Reginaldo Silva

      Femismo não existe nem em dicionário, é apenas mais um neologismo, novilíngua usada por feministas de esquerda para tentar desviar o caráter misândrico do movimento feminista de 3ª onda.
      Tirando as radfem que se assumem misândricas sem dissimulação, as outras vertentes feministas de esquerda são igualmente misândricas, porém fingem não serem para enrolarem os incautos, mas uma vez frequentando pages/grupos/blogs das ditas feministas não-radfem, fica claro a misandria delas.

    • Anônimo

      Algo que sempre me intriga é o fato de várias feministas afirmarem, como você mesma diz, que “O homem, na sociedade em que vivemos hoje, já nascem com certos privilégios”. Quais seriam tais benefícios? A obrigatoriedade de prestar serviço militar? Aposentar-se aos 65 anos quando mulheres podem fazê-lo aos 60? Pagar mais caro pelo seguro dos automóveis? Ter uma expectativa de vida comprovadamente menor do que o sexo feminino? Ter de gastar com uma entrada cheia em casas de shows, sendo que mulheres, normalmente, pagam meia? Ter um período licença paternidade extremamente curto? Eu entendo que ainda existe, na atualidade, preconceito contra a mulher, principalmente no que diz respeito ao mercado de trabalho. Contudo, não se pode excluir a lógica de que algumas profissões contam com pequeno número de trabalhadoras simplesmente por existirem poucas mulheres que queiram exercer tais funções! Ademais, afirmar que o sexo masculino nasce com privilégios em relação à mulher é a maior falácia já inventada, e, por isso, não serve como argumento. Direitos iguais devem ser, sim, uma realidade. Porém, se pensamentos como esse forem enraizados, irá se alcançar a equidade através de ideais que visam à desigualdade!

    • Anônimo

      Algo que sempre me intriga é o fato de várias feministas afirmarem, como você mesma diz, que “O homem, na sociedade em que vivemos hoje, já nasce com certos privilégios”. Quais seriam tais benefícios? A obrigatoriedade de prestar serviço militar? Aposentar-se aos 65 anos quando mulheres podem fazê-lo aos 60? Pagar mais caro pelo seguro dos automóveis? Ter uma expectativa de vida comprovadamente menor do que o sexo feminino? Ter de gastar com uma entrada cheia em casas de shows, sendo que mulheres, normalmente, pagam meia? Ter um período licença paternidade extremamente curto? Eu entendo que ainda existe, na atualidade, preconceito contra a mulher, principalmente no que diz respeito ao mercado de trabalho. Contudo, não se pode excluir a lógica de que algumas profissões contam com pequeno número de trabalhadoras simplesmente por existirem poucas mulheres que queiram exercer tais funções! Ademais, afirmar que o sexo masculino nasce com privilégios em relação à mulher é a maior falácia já inventada, e, por isso, não serve como argumento. Direitos iguais devem ser, sim, uma realidade. Porém, se pensamentos como esse forem enraizados, irá se alcançar a equidade através de ideais que visam à desigualdade!

  2. Dark Wolf

    Homem nasce com previlégio? Como se todo homem fosse ALTO , RICO BONITO, FORTE, etc, isso são apenas 5% dos homens, o resto, luta e sua sangue pra ser visto ou considerado pela sociedade. Mulheres, SÓ POR SEREM MULHERES, já nascem com previlégios, regalias, leis e apoio social. O problema das feministas é colocar todo homem no balaio de cafajeste, estuprador, previlegiado, etc. Abra essa mente de azeitona.

    • Helano Oliveira

      Não e engraçado que as feministas lutam principalmente e especialmente (falo da pratica e nao teoria) pela liberdade sexual? Elas odeiam tanto os cafajestes mas querem se igualar aos homens somente nas praticas mais deploraveis de liberdade sexual que eles tem. Por que mesmo que essas feministas não lutam para se igualar na genialidade dos melhores homens ao inves de criticar os libertinos para terem o direito de serem iguais sem serem julgadas?

    • Susã Laisa

      Sim, por ser HOMEM você já nasce com privilegios, não por ser ALTO, RICO, BONITO, FORTE outras tantas “qualidades”. É muito mais fácil ser um homem na sociedade de hoje do que uma mulher. Vou dar alguns exemplos simples; Você é um cara super legal que sabe que mulher não é objeto e trata com respeito as mulheres a sua volta, sabe que qualquer tipo de violencia sexual é extremamente errado. ok?! Bem, eu voltando da faculdade ou do trabalho, a noite, o onibus para umas duas quadras da minha casa, sou obrigada a andar até lá. Assim que desço, vejo uma figura masculina vindo atras de mim, eu automaticamente me sinto descorfortavel e com medo, provavelmente vou acelerar o passo, porém, essa pessoa que vem atrás de mim é você, e você é uma pessoa boa que respeita as mulheres, mas eu não sei! Simplesmente por você ser HOMEM eu já vou me sentir “oprimida”. Tem tambem o fato de homens serem mais reconhecidos no mercado de trabalho, entre outros. Sei que você vai dizer: “Mas as mulheres tem privilegios que homens não tem, como a licença maternidade ou a não obrigatoriedade do alistamento militar”. Bom, eu concordo com você nesse ponto, mas ao invés de criticar, o que eu penso, em estender isso aos homens, afinal o homem é tão pai quanto a mulher é mãe, e isso também é importante para a criança. E no caso do alistamento, acredito que não deveria ser obrigatório a NINGUEM, o serviço militar deveria oferecer uma boa remuneração e um plano de carreira e deixar aberto a quem desejar, como é feito nos EUA (Apesar das ressalvas filosóficas desse metodo feitas inclusive por Sandel). Bom, o fato de ser homem é sim um fator de “privilegio” independente de outros fatores, você tem “privilégios” por ser homem mas não, por exemplo, por ser rico. Enfim, quero que você saiba amigo, que nem toda FEMINISTA é obtusa ou que odeia os homens, sei que existe gente assim, da mesma forma que existe homens “cafajestes” e bons homens. e aaaaaaah! FEMINISTA pode se maquiar, pode se preocupar com o cabelo, pode se depilar, mas esse é outro assunto. Espero que tenha entendido meu ponto, respeito seu ponto de vista, só não generalize, pois as pessoas não tem pensamentos iguais, mas eu vou continuar a me posicionar a favor de que todos tenham chance de expressar suas formas de pensar sem discriminação (nesse caso de gênero)!

      • Murilo Pessanha

        Sua réplica foi muito boa em muitos aspectos, mas por favor, repense seu exemplo relativo a pegar onibus a noite. Eu, como homem, se vejo outro homem ou mulher andando em minha direção, sozinho, não vou ficar nem um pouco confortável. E isso independentemente da cor, pelo amor de Deus… Não estamos numa sociedade do estupro, mas sim numa sociedade da violência, onde crimes acontecem o tempo todo e NADA acontece. NINGUÉM se sente bem sozinho na rua a noite. Em NENHUM lugar hoje em dia. É contra isso que temos que lutar, a violência contra TODOS. Estupro é com certeza o crime mais abominável, e tem que ser combatido com a mesma intensidade, até pois é uma forma cruel de violência…

        • Susã Laisa

          Entendo seu ponto, a violência, infelizmente, atinge a todos, mas não dá pra ignorar que é mais fácil assaltar, violentar e agredir uma mulher. As mulheres em geral (excluindo umas Ronda’s da vida, Rsrs) são mais fracas e alvos mais fáceis de violência. Mas como se diz na filosofia do discurso, a ideia se perde no falar e se perde ainda mais no escrever. Escrito, talvez meu exemplo não pareça tão forte. Mas me permita concluir o exemplo. E se não fosse aquele cara legal atrás de mim, e se realmente fosse uma pessoa mal intencionado? e se o estupro fosse consumado? E se virasse notícia? Você sabe, como usuário de rede sociais quais seriam os tipos de comentários. Claro que teria um “Nossa que horror” ou “Merece morrer uma pessoa dessas” mas também haveria comentários como “Mas, o que estava fazendo esse horário na rua” ou “Com que roupa ela tava vestida”. O ponto é culpabilização da vítima e a vulnerabilidade da mulher em nossa sociedade. Não sei de onde você é, mas aqui em Curitiba, a um tempo atrás, a prefeitura decidiu que após as 22:00 horas (Não sei ao certo o horário) o motorista poderia parar fora do ponto para mulheres, logo em seguida um homem comentou: “Nossa que legal, isso podia valer pros homens também” e logo veio uma dita Feminista (Que não entendeu a parte de IGUALDADE entre os gêneros) e disse: “Amigo, fica na tua, as mulheres lutaram muito pra ter esse direito” …. Eu fiquei chocada. Qual o problema de estender isso aos homens afinal, como disse, a violência atinge a todos. Outro exemplo, na delegacia da mulher em Curitiba assim que você entra tem uma placa dizendo algo como (Não me lembro o Art): “fazer falsa denúncia é crime” sei que algumas mulheres denunciam abusos só por vinganca raiva, sei lá! Mas é aquelas que precisam de ajuda, aquelas que se sentem intimidadas em fazer denúncia e ela acabar presa, por que muitas vezes não tem como provar ou o companheiro exerce forte pressão moral e psicológica nela?. É nesse caso por que não tem uma placa dessas na delegacia comum? Acredito sim, que a mulher está em desvantagem frente ao homem em nossa sociedade. Mas isso não exclui a violência em geral, independente de cor!

          • tiago

            com certeza é mais facil assaltar mulher, por isso que homens morrem mais que mulheres, o criminoso se sente seguro assaltando uma mulher , raramente vai atirar, mas se for um homem ele atira depois que o cara enregou tudo, com medo de ser perseguido

          • Reginaldo Silva

            “fazer falsa denúncia é crime”

            Sabe porque tem essa placa ? dê uma pesquisada e descubra que entre 50% ou mais das denúncias sobre estupro e abusos são falsas, os próprios funcionários das Delegacia da Mulher (inclusive delegadas) dizem como isso atrasa as investigações e como é lugar comum as falsas acusações.
            Falsas acusações não são exceção a regra, falsas acusações é um montante que atrapalha as próprias delegacia das mulheres a pegarem culpados de fato.
            Não tente minimizar o valor da mensagem “fazer falsa denúncia é crime”.

            A maioria das vítimas de violência são homens em números estrondosamente maiores do que mulheres (comparar 1 milhão com 4 mil já mostra a grande diferença), o problema é o feminismo pós-modernista de 3ª onda atual, que mente muito, faz parecer que algo é maior do que parece (esse feminismo atual tem nada a vê com o feminismo de 1ª/2ª onda).
            Há de combater todo tipo de violência, mas fixar o combate da violência num só gênero fazendo mentirosamente crer que ele é o mais afetado é de uma desonestidade imensa.

            Pesquise aí dados que feministas nenhuma irá tocar no assunto:
            A maioria maciça dos abusos e crimes cometidos contra crianças e idosos são cometidos por mulheres, sejam crianças meninas/meninos, idosos homens/mulheres.
            Pergunte se o movimento feminista atual está preocupado com isto ( o atual movimento está preocupado em que as mulheres sejam inimputáveis, seja tratadas com tratamento especial, que elas são santas, não peidam e não cagam).

          • Vinicius Monteiro

            Entendi o seu ponto, e de fato é verdade que um cara normalmente vai tentar assaltar ou violentar uma mulher por ela ser mais fácil, mas nesse caso eu queria fazer um adendo.
            Obviamente eu me sinto desconfortável quando um homem está andando atrás de mim na rua, inclusive no trânsito eu cuido motos e carros que “começam” a me seguir. Outra coisa também é que normalmente reclamam quando dizemos para não usar roupas ou objetos chamativos e não andarem desacompanhadas, se possível em grupos de 3 ou 4 pessoas, evitar ruas escuras e desertas, etc… A verdade é que a sociedade é violenta e cruel e ela sempre vai acabar engulindo os despreparados, infelizmente. Espero que não tenha dito nada ofensivo.

          • Susã Laisa

            Você não disse nada de ofensivo! Aliás, Obrigada por se manifestar! é muito dificil acharmos pessoas racionais em páginas extremistas. Todo ser-humano neste mundo está sujeito a violência, infelizmente! Porém ,é preciso esclarecer que, para uma mulher, além da violência corriqueira, ela está sujeita a violência sexual. E isso é um “a mais” bem grave e o que torna a mulher uma pessoa mais vulnerável na sociedade. Não A mais, mas uma DAS mais vulneráveis. Pois, sejamos coerentes, um homem adulto muito raramente vai ter medo, pela sua integridade sexual, andando tarde da noite pela rua! Temos de educar os homens de todas as idades a respeitarem as mulheres, independente de como estejam vestidas, a parar de ver a mulher como um objeto. As Mulheres querem ser livres, pela minha vivência ( e olha que sou, branca, classe média, hetero, magra, universitária) é muuuuito dificil ser mulher!

          • Vinicius Monteiro

            Concordo que há certas coisa que estão erradas e que muitas vezes diminuem o valor da mulher, mas, você consegue entender que no caso de estupro, assim como em todo e qualquer crime, a pessoa faz por “mal-caratismo” (não sei se essa é uma boa palavra) e não por que foi ensinada. A lei está lá, a sociedade repudia estes comportamentos, mas o crime ocorre do mesmo jeito.
            É diferente, por exemplo, da sociedade islâmica onde o estupro é justificável em determinadas situações. A nossa sociedade não aceita em nenhum preceito o estupro, então não há um ensinamento.
            Como já disseram acima, o problema não é como as pessoas estão sendo ensinadas, mas sim que as pessoas que querem praticar maldades, se sentem livres, que nada vai ocorrer para elas. Estamos em um país sem justiça, e quando isso ocorre, precisamos nós mesmos nos virar. Esquecer os governantes e ir por nós mesmos, por isso que há as “dicas de segurança”, enquanto o Estado não fizer a parte dele, NÓS TODOS vamos ter que nos virar para sobreviver infelizmente.

          • Victor Hugo

            Temos de educar OS homens. Ainda bem que você usou um artigo no plural definido e seletivo, ao invés de TODOS OS homens. É isso aí.

      • Mateus Moreira

        Talvez o fato de você se sentir com tanto medo quando um homem esta andando atras de você nas ruas, seja por causa das dezenas de textos que paginas feministas publicam com títulos do tipo “Se você é uma mulher você vai ser estuprada” ou “1 em 4 mulheres são estupradas, e você vai ser uma delas” textos com o objetivo de fazer você sentir medo.
        Fora que você disse que TODO HOMEM nasce com privilégios só por ser homem mas ainda não disse que privilégios são esses, ou você quis dizer que só mulher que sente medo com um homem andando atras de você na rua, só pra sua informação, os dados mais recentes da pesquisa do IBGE mostram que, em 2007, a cada 100 mil habitantes, 25,4 eram vítimas de homicídio. Esse número é uma média entre o alto coeficiente MASCULINO, que é de 47,7 homicídio para cada 100 mil habitantes, com o baixo índice FEMININO de apenas 3,9 mortes violentas a cada 100 mil habitantes.Ou seja não é só mulher que sente medo de andar na rua, e pare com seu sexismo de achar que Homem não anda na rua com medo só por que é homem.
        E sobre a violência domestica que as feministas sempre falam, entre 1980 e 2010 houve pouco mais de 92 mil homicídios por violência domestica de mulheres. O que, lamentavelmente, eles não narram, é que durante esse mesmo período, houve mais de um milhão de homens assassinados, de um total de 1.094.163 homicídios.

        • Susã Laisa

          Olha, não sei se você leu meu comentário abaixo, mas eu sei sim, que todos somos alvos de violência, mas que as mulheres são alvos mais fracos. E Não, eu não sou uma mulher que sofreu algum tipo de “lobotomia” por post’s em páginas feministas, eu sou uma pessoa muito bem esclarecida. Não faço discurso sexista como disse. Homens têm privilégios sim, na sociedade atual, assim como eu tenho privilégios por exemplo sobre uma pessoa que não é branca ou magra ou universitária ou hetero. Eu tenho medo, como mulher, de andar à noite na rua não por que alguém me disse pra ter medo, não, só sei que pela minha condição de mulher sou um alvo mais fácil de violência, nesse caso, sexual. Você por ser homem pode ser morto ou assaltado e eu por ser mulher posso ser morta, assaltada e violentada. O pior de tudo é que a sociedade, em geral, ainda culpabiliza a vítima. Não estou diminuindo a violência que um homem sofre, mas pra mim, a violência sexual é a pior que existe. É isso não só com mulher, que é um alvo mais vulnerável, com crianças também, com deficientes mentais, com pessoas que não podem reagir, entre outros. Como disse no comentário anterior, não generalize as Feministas.

    • GH

      Oi, desculpa coração, antes se falar o que eu quero, preciso dizer que não sou feminista, não sou machista, sou um ser humano tentando formar opinião sobre o mundo.
      Ok dito isso eu só queria dizer que se hoje existem leis, delegacia da mulher e o que mais que você queira chamar de regalia, é porque num passado não tão distante (e ainda hoje) mulheres precisaram desse “privilejo” pra se sentir protejidas. Porque, meu querido, não é todo homem que abusa, espanca e o caramba a quatro, mas existe gente que faz isso, então precisa sim de “regalias” pra protejer quem é vítima.

      • Victor Hugo

        E quem tá criticando ou dizendo que não precisa?

  3. Tudo errado.

  4. Suzana Karen

    Parabéns, ótimo texto.

  5. Nadia

    Gente, eu sou a autora do post. Demorei para conseguir verificar os feedbacks porque tive problemas no acesso a internet em casa. Esse texto ainda não está completo, tem muito mais coisa que eu quero explicar sobre minhas posições em relação ao feminismo.
    Abraço!

  6. Josué Corrêa

    Chame-me de louco se quiser, mas para mim, a luta feminista contra as atitudes “opressoras” da sociedade em relação à mulher é irônica. Isso porque vejo uma relação direta entre o feminismo e o aumento da criminalidade, crueldade e enfraquecimento do caráter das pessoas e vou explicar porque.

    Sendo cristão e conservador, acredito no papel fundamental da família na formação do caráter de uma pessoa, sendo esta a base da sociedade. Embora o homem desempenhe papel fundamental na fecundação, não foi ao homem que Deus concedeu o dom de gerar um novo ser humano. A mulher foi incubida de uma responsabilidade, dever e privilégio muito superiores aos dos homem, e que são de longe muito mais importantes do que ocupar um cargo de gestão numa multinacional, ou dirigir um negócio, empresa ou país. Nas palavras de Abraham Lincoln: “A mão que embala o berço, governa o mundo”.

    Um pai pode educar seus filhos (e deve), e contribuir significativamente com o rumo que essa criança irá tomar pela vida, mas não adianta, um pai por mais dedicado que seja não pode substituir uma mãe, nem que comece a andar e se comportar como uma mulher, simplesmente não funciona da mesma forma.

    À medida em que as mulheres foram conquistando o direito de trabalhar como os homens, comprar como os homens, e de se tornarem promíscuas como muitos homens o são, o que aconteceu com a sociedade? Se tornou mais segura, moral e desenvolvida? Pelo contrário, apenas decaiu.

    Enquanto o pai e a mãe passam entre 10 e 12 horas por dia fora de casa ganhando dinheiro, quem está educando os filhos desse casal? No caso de familias ricas são a escolinha, a babá e a empregada. Os pais no afam de querer recompensar os filhos pelo tempo que não lhes dedicam, lhes echem de presentes, contribuindo para formar indivíduos fracos, egoístas e mesquinhos para ocupar posições na sociedade.

    E no caso do pobre? Quem educa é a creche, os moleques de rua, ou o tráfico adota. Daí os pais acabam legando á sociedade filhos que enveredam pela senda do crime, do vício e da violência. Claro que isso não é regra, mas de modo grosseiro é isso que acontece. Também não quero pretender ser insensível às necessidades de mães solteiras que não têm outra opção senão trabalhar para sustentar seus filhos, mas em muitas famílias as mães são voluntárias em deixar o lar, o marido, as crianças e irem pro mundo buscar se sentirem poderosas, esquecendo que, se fossem mais atentas ao humilde (mas importante) dever que lhes foi confiado por Deus, teriam o poder de determinar todo o futuro de sua família, de um povo, de um país e do mundo.

    O feminismo visa libertar a mulher de sua responsabilidade para com a família (ainda que esse não seja o discurso), e isso tem feito aumentar o número de criminosos por toda parte, porque filhos são como plantas, só podem dar frutos se forem cuidadas com carinho, recebendo a correta dosagem de luz, água e nutrientes que necessitam para se desenvolver, do contrário minguam, murcham, ou produzem muito aquém do que poderiam.

    Gostaria que as feministas pensassem sobre isso: esse estuprador de que elas têm tanto medo, o ladrão, o feminicida, todos os outros criminosos que elas temem, será que eles tinham uma mãe dedicada em seu lar enquanto estavam crescendo e formando caráter? Ou será que essa mãe passou a infãncia e adolescência deles toda trancada numa fábrica de canetas, num escritório de contabilidade ou na gerência de alguma empresa?

    Onde estavam essas mulheres enquanto esses criminosos cresciam e se fortaleciam na prática da maldade? Será que a dificuldade que eles têm em respeitar as mulheres ao seu redor não tem uma raiz na figura de um mãe ausente ou distante?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>