A esquerda e a ‘moda’ de cuspir em oponentes

Humanos diferem-se dos animais pela habilidade de serem racionais. O racionalismo, segundo a Wikipedia, é a “definição do raciocínio como uma operação mental, discursiva e lógica que usa uma ou mais proposições para extrair conclusões, ou seja, se uma ou outra proposição é verdadeira, falsa ou provável”. Utilizando-se do racionalismo, o humano é capaz de analisar uma premissa qualquer por meio da lógica, e aceitá-la ou não, de acordo com a sua compreensão.

Sendo assim, como explicar a atual sanha esquerdista em cuspir em adversários políticos e ideológicos, e mais ainda, de defender quem toma esse tipo de atitude animalesca e irracional?

Depois da cusparada de Jean Wyllys em direção a Jair Bolsonaro em plena Câmara dos Deputados, agora foi a vez de Zé de Abreu, ator global conhecido pela militância petista, repetir o repugnante ato, contra um cliente de um restaurante e sua esposa.

Em seu perfil no Twitter, o artista se vangloria do feito.

13063111_1064150553668412_7525342434449380648_o (1)

Em vídeo publicado no Facebook, é possível ver o ator e um homem discutindo, cercado pelos seguranças de Abreu. Em determinado momento, ele efetua uma cusparada em cheio no rosto do homem e sua esposa. Este, indignado, levanta-se, xinga e tenta alcançar o ator, que, protegido por sua escolta pessoal, afasta-se tranquilamente.

Zé de Abreu disse ter sido ofendido tanto pelo homem quanto sua esposa.

Eu acredito que todo ser humano possui direito a defesa. Não importa quem você é, nem o que defende, se alguém quer te atacar, é direito seu proteger-se. Porém, o que se vê aqui não é auto defesa, e sim uma pavorosa falta de respeito para com o próximo.

Se o homem o estava realmente importunando, ele poderia ter recorrido a várias alternativas. Chamar o gerente do estabelecimento, ir resolver pessoalmente, até mesmo apelar para a ignorância, caso fosse ameaçado fisicamente. Tudo isso teria sido bem digno, e se assim o fosse, eu, que desprezo tanto a ele quanto a categoria de artistas bancados pela lei Rouanet inteira, levantaria-me para defendê-lo.

Mas o que ele fez foi vil e covarde. Nenhum tipo de ofensa ou discordância justifica cuspir contra o rosto de alguém. E se você acha isso viável, pense bem: gostaria de levar uma cusparada de alguém que discordou de você ou sentiu-se ofendido, sem nem mesmo poder se defender, já que o agressor está tranquilamente protegido atrás de seus seguranças?

Isso não é razoável. Qualquer um que defenda esse tipo de comportamento está ignorando o conceito de racionalismo que descrevi no primeiro parágrafo e regredindo para um ser animalesco, incapaz de raciocinar e que ataca ao menor sinal de provocação. E gabar-se disso como se fosse uma atitude digna de aplausos é deprimente, mas mostra bem o nível de nossos “intelectuais de esquerda”.

Agora imaginem se fosse ele a vítima da cusparada: a militância de esquerda, e principalmente petista, choraria uns três meses a ‘truculência da direita fascista’ – termo esse que, por sinal, a esquerda desconhece completamente, visto que fascista é quem apoia Estado máximo e conflito de classes, conceitos que ela mesma defende, e não a direita, que busca o seu extremo oposto.

Choveriam ameaças de morte, textões, reclamações e todo tipo de injúria sobre o responsável. Mas já que foi um esquerdista, os indignados seletivos nada reclamam, afirmando que ‘coxinha’ e ‘golpista’ tem que ser tratado desse jeito. 

Como a esquerda mesmo gosta de dizer: ‘melhore’, Zé de Abreu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>