Neymar: uma jogada de fé!

O Brasil sagrou-se campeão olímpico no futebol nesse domingo. Após inúmeras críticas merecidas Neymar, nosso craque, desencantou, abriu o placar num golaço de falta e ainda encerrou as cobranças de pênalti, ei-la consagração! Mas não parou por ai…

Neymar, para todos os efeitos e defeitos é cristão, e mais do que isso: ousado!
Quando foi campeão pela Liga dos Campeões pelo Barcelona, o jovem controverso usou uma faixa durante a celebração que glorificava a Jesus Cristo. A faixa diz em letras garrafais: 100% JESUS. À época, o gesto singelo causou furor na mídia globalista, uma clara tentativa de dissuadir tais manifestações. Pois bem, passou…
Agora, neste domingo, após uma partida dura contra a Alemanha em que o Brasil ganhou sua primeira medalha de ouro olímpica no futebol, o jovem cristão, segundo consta ciente do regulamento que veda tal expressão de religiosidade, teimou e ousou usar a faixa em glorificação a Jesus Cristo. De novo, para o mundo, no título mais importante da sua carreira até aqui, no seu momento, Neymar se lembrou: 100% JESUS. 

O COI (comitê olímpico internacional), disse que vai abrir uma reclamação contra o craque devido ao atrevimento. Mas cabe lembrar aqui que quando a egípcia Doaa Elgobashy, apareceu em quadra de praia usando blusa de manga comprida, calça e hijab (o véu muçulmano), o mundo todo foi à loucura, aliás, não faltaram expressões de incentivo e enternecimento diante do contraste cultural. O que ninguém questionou foi a legitimidade do uso de tal traje, vez que trata-se de nítida expressão da religiosidade. Há quem alegue, por outro lado, que tal vedação se aplica apenas ao pódio, não durante os jogos. E a pergunta que se faz é: e se a egípcia tivesse conquistado uma medalha, ela teria de se despir de seu hijab, será que isso lhe seria exigido ou sancionado? Duvido muito.

A verdade é que Jesus oprime, e lembrar de Jesus é estampar na cara do mundo sua finitude e limitação, é lembrar ao homem que ele é pó diante do divino, é expor os pecados e máculas. Roger Scruton tem uma frase que define muito bem esse sentimento de aversão ao sagrado quando diz que: “Diante de objetos sagrados nossas vidas são julgadas, e para fugir do julgamento, destruímos aquilo que nos acusa”. Ora é claro que o cristianismo acusa e incomoda. Além disso, há uma extensa propaganda anti cristã disseminada por gente degenerada que ocupa as mais diversas redações de jornal…

Não nos deixemos vencer. Neymar teimou como teimaram os profetas e homens de Deus conforme nos diz as escrituras.
Não é o caso de analisar a conduta da vida do craque, mas essa atitude isolada. Um jovem que no seu momento lembrou-se de glorificar a Deus, na contra mão do mundo e da lei contaminada dos homens. Neymar não se ajoelhou perante a “ordem do rei”, tomando uma bela e incômoda atitude.
A despeito de todos os efeitos e euforias: parabéns Neymar.

Jesus vive!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>