Feministas se calam sobre os estupros em bailes funk.

Falam do carinha do BBB que gritou com uma moça, mas se calam quando meninas são estupradas em bailes funk. Interessante, né? Olhe a noticia:

Uma garota de 16 anos foi estuprada na madrugada de domingo (2), em Guarujá, por dois homens que a renderam em um baile funk realizado no local conhecido como “pistão” do Morrinhos.

Ela disse que aguardava colegas saírem de um banheiro químico, quando um homem branco, forte e com cerca de 30 anos tapou a sua boca com a mão e a arrastou até um carro prata.

A adolescente não soube informar o modelo do veículo, no qual havia um homem pardo, magro e aparentando 25 anos. Em seguida, a dupla levou a vítima a um lugar sem movimento, entre a comunidade de Morrinhos e a Vila Edna.

Os desconhecidos se revezaram para abusar sexualmente da garota dentro do automóvel, conforme ela contou. Consumado o estupro, às 6 horas, a adolescente se dirigiu sozinha até a base da Polícia Militar da Vila Zilda, onde relatou a violência.

Os policiais que estavam na base avisaram a mãe da vítima e a encaminharam ao Pronto Atendimento Médico (PAM) da Rodoviária. Medicamentos para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e aids foram ministrados à adolescente, que foi liberada.

O caso foi registrado pelo delegado Caio Azevedo de Menezes e, por enquanto, não há pistas dos estupradores. O baile funk do pistão acontece no Morrinhos 3 e reúne centenas de jovens e adolescentes, que ocupam ruas impedindo o tráfego de veículos. O uso indiscriminado de drogas e bebidas é flagrante, como se o local fosse um território sem lei.

Até o momento nenhuma feminista se manifestou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>