Método Paulo Freire e a Doutrinação Marxista

Paulo Freire, filósofo, educador e pedagogo, considerado “o patrono da educação brasileira”, cuja teoria é amplamente difundida e implantada em nosso país, era adepto da teoria marxista e da luta de classes nos ambientes escolares e acadêmicos.
Folheando o livro “Pedagogia do Oprimido”, best seller entre as obras sobre educação, vemos notas de rodapé sobre Karl Marx, Lênin, Che Guevara e Fidel Castro, o que reforça a preocupação de Freire em mostrar a “contradição entre opressores e oprimidos” e de enfatizar a necessidade de uma “revolução”.
O autor se apoia na ideia de que a luta de classes, inclusive nas salas de aula, daria ensejo a uma ditadura do proletariado, que serviria de transição para uma sociedade igualitária e sem classes.

Vale a reflexão: como um livro sobre opressão, luta de classes e destruição do capitalismo pode ser visto como um tratado sobre educação e pedagogia?
Em breve síntese, Freire, que se opunha à educação tradicional, propôs a construção do saber em forma conjunta, em que o mestre analisaria os conhecimentos prévios de seus alunos para, depois, apresentar a matéria a ser abordada.
Na prática, ao final desse diálogo, o professor concluir que os alunos que ele conseguiu “convencer” são os que estão prontos e os que absorveram o conteúdo com excelência.
Logo, o método proposto por Freire transmite aos alunos “verdades inquestionáveis”, camufladas por um diálogo manipulado pelo professor, que se abstém de mostrar visões alternativas àquelas ditas por ele.

Em seus ensinamentos, o Professor Olavo de Carvalho, em seu artigo, “O novo imbecil coletivo”:
“A partir dos anos 80, a elite esquerdista tomou posse da educação pública, aí introduzindo o sistema de alfabetização ‘socioconstrutivista, concebido por pedagogos esquerdistas como Lev Vigotsky e Paulo Freire para implantar na mente infantil as estruturas cognitivas aptas a preparar o desenvolvimento mais ou menos espontâneo de uma cosmovisão socialista, praticamente sem necessidade de ‘doutrinação’ explícita”.
Assim, o método pedagógico implantado é calculado para atingir e aliciar as crianças e jovens que não estão prontos para reagir e pensar criticamente.
Evidentemente, que esta prática constitui doutrinação político-ideológica, abuso da “liberdade de ensinar”, que fere de morte a “liberdade de aprender”, na qual se inclui o direito do estudante de não ser doutrinado.
Não à toa as escolas, universidades e os alunos brasileiros têm obtido notas e conceitos catastróficos nas avaliações internacionais a que são submetidas.
Fazer os alunos aderirem ao esquerdismo, à luta de classes e a movimentos como o feminismo em ambiente acadêmico é um erro, proposital ou não, da pedagogia de Paulo Freire.
Formam-se cada vez mais militantes e menos profissionais com censo crítico e, consequentemente, capacitados para o mundo e para o mercado de trabalho.
Contrapondo essa realidade, está o projeto “Escola sem Partido”, cujo escopo é que os educadores deixem de se aproveitar da presença cativa e da hipossuficiência dos educandos para impor seus próprios interesses e convicções, sejam elas ideológicas, políticas ou religiosas.

Assim, quando abordar essas questões, o professor deverá “apresentar aos alunos, de forma justa – isto é, com a mesma profundidade e seriedade – as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito”.
Para reverter a hegemonia do pensamento esquerdista nas instituições de ensino e na sociedade como um todo, além da urgente aprovação do projeto “Escola sem Partido”, deve-se mudar totalmente os métodos e os sistemas de ensino vigentes para outros, capazes de criar alunos que realmente aprendam, tenham pensamento crítico e analisem a realidade com coesão, optando pelas correntes ideológicas, políticas ou religiosas que melhor aprouver, sem interferência direta das escolas e universidades.
Assim, não se criarão mais mentes que negam a realidade, repetem e aceitam os discursos realizados nas salas de aula passivamente e sem qualquer contraditório.

Por: Jorge Luiz

3 thoughts on “Método Paulo Freire e a Doutrinação Marxista

  1. Danniel Martins

    Sensacional ! Estou cursando pedagogia em uma universidade, e estou estudando e aprendendo tudo o que o POST diz ! Como eu devo reagir a isso? Desde que entrei lá, tenho um pé atrás com os ensinos dados pelos professores, mas sou leigo nesses assuntos… Queria uns conselhos, se puderem me contatar no meu email eu agradeceria muito, dfmartins77@gmail.com

  2. Capereira

    Paulo Freire foi um dos maiores educadores do mundo. Aceitem que dói menos.

  3. PAULO SERGIO GOMES FERREIRA

    Paulo Freire um dos maiores educadores do mundo?!!..Deve ser por isso que o Brasil etá cheio de analfabetos funcionais como este cara que fala uma bobagem dessa!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>