A condenação de Lula




Nos próximos dias, o Juiz Sérgio Moro poderá condenar Lula até 22 ANOS de reclusão.

Só falta uma coisa para a sentença final: a definição da pena ao intermediário da propina, Antonio Palocci.





Os olhares voltados para o juiz Sérgio Moro e a ansiedade tomam conta da população. Nos próximos dias ele anunciará a sentença que mudará para sempre os rumos da política (e dos políticos no Brasil)

Segundo o Ministério Público Federal, o ex-presidente foi beneficiado em torno de R$ 87,6 milhões de reais, sendo que 3,7 milhões de reais foram destinados no triplex do Guarujá dados pela OAS em troca de benesses.

Leia a carta de Eduardo Cunha sobre as acusações de Joesley (JBS)

De acordo com a Isto É, integrantes da Lava Jato informaram que ele poderá ser condenado até 22 anos de prisão, onde 10 anos por lavagem de dinheiro e 12 por corrupção passiva.

A defesa de Lula esta perdida. Não sabe mais o que fazer para limpar a imagem de seu cliente e manchar a imagem da lava jato e acabam apelando para jogos sujos. Uma atitude reprovável vinda de um advogado.

Não só as atitudes e estratégias de Cristiano Zanin Martins são pavorosas. A senhora Gleisi Hoffmann – conhecida como “a amante” nas planilhas da Odebrecht, ré, junto com seu marido, Paulo Bernardo, por ter recebido R$ 1 milhão de reais do Petrolão na campanha eleitoral de 2010, hoje presidente do PT, acusou, de forma vazia, caluniosa e simplista, Deltan Dallagnol de dar palestras (ele não deu palestras) para colocar em xeque a credibilidade e a veracidade da Lava Jato e de seus integrantes.




A resposta de Dallagnol sobre as acusações de Gleisi Hoffmann

Esta tão evidente o desespero da defesa, que proferem sandices ao afirmarem que os procuradores usariam, na acusação a Lula, a teoria de Hitler, conhecida como “elasticidade dos veredictos”, onde a sentença será contrária as provas.

Ao contrário do que os advogados e militância lulista falam, os procuradores tem um vasto arsenal de provas. A cartada final foi de Leo Pinheiro, que, em carta enviada ao Juiz Sérgio Moro, em suas alegações finais, atestou que o imóvel é sim de Lula.



Leo Pinheiro diz: “Os gastos eram contabilizados e descontados da propina devida pela empresa ao PT em obras da Petrobras. Tudo com anuência de seu líder partidário LULA”.

Ocultação de provas:

Lula alega que o imóvel não esta em seu nome e, de fato, isso é verdade. Porém a corrupção esta amplamente provada com o tráfico de influência para beneficiar a OAS. Ainda sim, de acordo com Leo Pinheiro, em acordo firmado com Paulo Okamoto (braço direito de Lula), o apartamento seria transferido para o nome do ex-presidente, entretanto com a eclosão do escândalo, os planos foram alterados, mantendo assim o triplex em nome da OAS.

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A HISTÓRIA DO HOMEM MAIS NOCIVO DO BRASIL

Outra testemunha:

Em depoimento ao Juiz Sérgio Moro, em 16.12.2016, José Afonso Pinheiro, ex zelador onde esta localizado o Triplex, afirma que o Triplex é sim do ex presidente e ressalta que Marisa Leticia e Luiz Inácio Lula da Silva nunca se portaram como interessados no imóvel e sim como donos.

O mesmo testemunhou, em 2014, dona Marisa Leticia requisitar aos engenheiros da OAS a construção do elevador privativo.

Dentre muitos depoimentos, farto material de provas, o Juiz Sérgio Moro esta pronto para prolatar a sua sentença.

Sérgio Cabral

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, demonstrou interesse na delação premiada. Entre as denúncias que Cabral esta disposto a fazer, uma se destaca. Sérgio Cabral relata que, em uma reunião em 2009 com a presença de Lula, o ex-presidente autorizou o empresário Arthur César Soares de Menezes a pagar propina a integrantes do Comitê Olímpico Internacional em troca da escolha do Rio de Janeiro como cidade sede das Olimpíadas de 2016.

Não há dúvidas dos atos execráveis protagonizados por Lula e seus asseclas.

LULA DIZ QUE ADMIRA HITLER E MAO-TSÉ TUNG

O mal que assola o País, afogado no desemprego, com a economia em frangalhos e o crescimento vexaminoso, tem nome, sobrenome e endereço.

Lula e seus capangas assistiram aos brasileiros morrerem em filas de hospitais, implorar por remédios nos postos de saúde, chorarem de desespero pelo desemprego, pela falta de comida e pela insegurança. Assistiram, apoiados no mais alto luxo, a morte da esperança.

Lula ainda alega sua inocência. Empunhado em sua evidente psicopatia, com um discurso perverso, na rádio Tupi do Rio, Lula classifica a investigação como “piada” e completa: “Espero que o Moro leia os autos e anuncie para o Brasil a minha inocência. Eu já provei que sou inocente. Quero que eles agora provem minha culpa”.  O eterno e surrado discurso vitimista. ­

Vinte e dois anos de reclusão já servem como resposta.

Escrito por: Camila Abdo




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>