Em resposta a nota emitida pelo M.A.M, sobre a apologia a pedofilia

Eis a “Nota de esclarecimento” do M.A.M, referente a exposição onde aparece uma criança interagindo com um homem nu. Na sequencia veja um video em resposta a essa nota.

Vídeo em resposta:

Mas e ai, qual a sua opinião?

9 thoughts on “Em resposta a nota emitida pelo M.A.M, sobre a apologia a pedofilia

  1. Rafael

    Seus safados filhos das putaa !
    Deixa as crianças
    Seus covardes

  2. ALDENIR PASA

    Eu acho um absurdo. Mas vamos liberar todos os processos que tem por pedofilia porque é tudo arte entre quatro paredes ou no motel mesmo o lugar não importa o teor da atividade e exposição é a mesma. Viva a democracia.

  3. armando

    sem comentários, pois dizer o quê dos que deveriam incentivar cultura vir aqui dizer que isso é cultura, é arte …. pra mim é como disse Vitor Hugo em “Os Miseráveis” … em questão temos um homem degradado, nu atirado ao chão, com outros aplaudindo – degradação do homem -; temos uma mulher se prostituindo e ensinando a filha – prostituição humana -; e por fim o atrofiando do pensamento infantil – atrofiando cultural da criança. Dizer o quê ??? … apenas podemos lastimar o grau da estupidez humana.

  4. León Vassalli

    Perfeita a colocação a respeito daquela cafetina de menores que induz e insiste para que a menina toque a genitália do depravado. Essa, parece que é a mais doentia (sem vergonha) por ter um desejo incontido em ver a menina se perverter, também. Espero que esses “artistas” passem uma temporada em cela comum para serem tocados a vontade…

    • Nelson

      Como temos visto tanto absurdo jamais imaginado, obras todas dessa ralé comunista que assola o país, fingindo ser arte esse descalabro, essa suprema deterioração mental, para não usar alguns adjetivos bem precisos (não os posso escrever abertamente) tenho uma sugestão bem simples: vamos aproveitar a ocasião para, da mesma forma nus (o famosa nu artístico), cada um segurar os membros e a cabeça do “artista”, para que fique totalmente imóvel e manietado, e, com toda pompa e circunstância, defecar na sua boca e fazê-lo engolir a massa toda.
      Pode ser que assim alguém também acredite que foi apenas uma “performance” artística de seguidores da Ligia Clark em mais uma leitura historicamente reconhecida como uma proposta interativa. O nome não poderia ser mais preciso, in totum: la bête.
      Creio que faltou o complemento: la bête humaine.
      E o MAM, nos parágrados finais da sua nota tenta, de forma cínica e canalha descontextualizar o absurdo cometido. Pregam moral de cuecas. Faça cada um a sua “leitura” .

  5. Eduardo Oliveira

    Triste a gente ver a menina engatinhando querendo ir embora e a “mãe” puxando ela de volta. Querendo mostrar aos presentes que ela é uma mãe “decente” e “cabeça aberta”.

  6. Gabriela Hessel

    O que estão tentando fazer não é arte, é manipulação comportamental progressiva através de naturalização e do que é bizarro. Marxismo cultural em doses homeopáticas p que um dia olhemos para certos valores e não os reconheçamos mais como sendo a base da sociedade, mas apenas como um tabu. Mas moral não é tabu, é instituição divina e não vai ser tratada de forma alguma como construção social ultrapassada. Não dentro do meu lar, jamais com meu aval e apoio!!!

  7. Guilherme

    Depravação total dos envolvidos . Forçar uma criança a tocar um homem nu , isso é inverção de valores forçando uma ideia de que e é natural uma criança fazer isso. Então se uma pessoa estrupar outra e ela alegar que é arte ela tem autorização para tal atrocidade? Isso é uma vergonha, pai e tenho minha mente aberta para o mundo de hoje e sei isso é um abuso a inocência da pureza de uma criança

  8. Jairo

    tentando justificar o injustificável, pedofilia, sacanagem, e outras coisas mais, lamentável o MAM que tanto eu considerava, caiu demasiadamente em meu conceito, FECHA MAM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>